O esporte deixou há muito tempo de ser apenas uma busca pela qualidade de vida, ele também passou a ser uma forma de quebrar barreiras e preconceitos. Em qualquer que seja o esporte, deve haver união e cooperação para a inclusão social. Tendo como base esse conceito, nasceu em São Paulo, o Angels Volley, pela ideia e realização de Willy Montmann.

Um apaixonado pelo esporte e praticante de vôlei desde os sete anos, Willy criou e idealizou o projeto que existe há 12 anos. “Angels surgiu da necessidade de termos uma reunião de amigos LGBTQIA+ que gostam de vôlei poderem vivenciar algo bacana dentro de um ambiente acolhedor, sem rótulos ou preconceitos”.

Em seus primeiros passos, o projeto era só de homens gays, mas hoje conta com times profissionais tanto no masculino (com 25 homens gays e dois simpatizantes), quanto no feminino (22 mulheres trans e cinco cis). “O projeto vem crescendo muito e com certeza estamos querendo alcançar mais objetivos e pessoas”, vibra Willy.

Mikaella Reis

A atleta Mikaella Reis Freire participa do time profissional há 10 meses e exalta o ambiente: “Eu me senti muito bem, sem contar com o acolhimento e a qualidade de vida que é outra. A gente faz muitas amizades, conhece outras histórias, se ajuda e acaba se tornando uma família”.

O fundador do projeto destaca que sempre há espaço para alguém novo que se enquadre com a política do projeto tanto dentro como fora da quadra. “Fazemos várias oficinas sobre o esporte além de realizar o Corujão Angels Volley, um vôlei na madrugada que chega a reunir mais de 500 pessoas sem restrições técnicas”.

Sabendo que o esporte é um evento socioeducativo que salva vidas, Willy reforça que é importante suprimir o trauma das aulas de educação física de muitas crianças e adolescentes LGBTQIA+: “O nosso projeto dá representatividade e voz, além de incluir, acolher e encorajar essas minorias a combaterem o bullying, serem quem são e não desistir dos sonhos”. Uma ideia que é ampliada por Mikaella: “Quando a gente percebe que a própria sociedade nos segrega, esse projeto veio pra trazer igualdade e é bom pensar que tem um projeto ou alguém para nos acolher”.

Mensagem

O criador do Angels Volley ainda deixou uma mensagem para quem ainda se sente excluído e que precisa saber que não está sozinho: “Nosso projeto encoraja gerações e é referência mundial! Somos pioneiros e vamos continuar lutando por todes”!

Nós também!

Transconvida

Segundo a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), só no primeiro semestre deste ano, houve um aumento de mortes de pessoas trans no Brasil. Isso significa que o país é o primeiro colocado em mortes, sendo o número, três vezes maior que o segundo colocado.

Pensando nisso, outro projeto com a participação de Willy é o Transconvida que é um projeto que visa mudar a perspectiva de vida da comunidade trans, capacitando profissionalmente essas pessoas. “Essa é a sigla mais marginalizada, perseguida, injustiçada e esquecida. Então preparamos nossas atletas para a vida, queremos ver elas realizadas dentro e fora de quadra”, avalia.

O projeto ainda disponibiliza aulas de inglês, informática entre outras matérias para as alunas se prepararem pro mercado de trabalho.

Redes sociais

Para conhecer mais dos dois projetos, é só seguir eles nas redes sociais. (@angelsvolley e @transconvida)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui