Em meio à pandemia que estamos vivenciando do COVID19, alguns fatores prejudiciais à nossa saúde podem ser desencadeados. O estresse, devido ansiedade ou medo, por exemplo, pode aumentar — além do isolamento social, que tem feito as pessoas ficarem sem atividades diárias. Tudo isto, pode sim, acabar prejudicando a pessoa e, principalmente, sua saúde.

Devido todos os problemas enfrentados neste período, uma das questões que permanece em nossa mente é: como manter o bem-estar durante a quarentena? Selecionamos algumas dicas de especialistas e trouxemos para vocês.

Faça alongamento e pratique exercícios

Vivemos um momento muito complexo onde veremos as consequências da inatividade. Primeiro devemos entender o nosso estado para fazer a prática do exercício, para assim saber como direcionar. Lembrando da necessidade e segurança pessoal. O ideal é a orientação de um profissional para colocar este planejamento junto com você, nada é mais importante do que isto. No entanto, hoje a tecnologia já promove outros meios para ajudar nas práticas das atividades (aplicativos, redes sociais e diversos outros gatilhos). Para as pessoas mais sedentárias o alongamento é ideal para ver o que o corpo pode produzir de flexibilidade e lhe dar mais disposição. É importante que você tenha a condição de entender que você precisa buscar o bem-estar e tudo que engloba sua qualidade de vida. Estando bem com sua forma psicológica também. Você precisa saber dar os primeiros passos e saber que a necessidade de práticas de exercícios é total, principalmente neste momento.

Dicas da Asbran

  • Cuidados com a alimentação

Avalie sua rotina alimentar e, se for o caso, organize-a; abuse da criatividade ao preparar as refeições, com ingredientes que você já tem disponível em casa (evitando o desperdício); cuidado redobrado com a higiene dos alimentos mastigue bem os alimentos, pratique o comer consciente; respeite suas vontades, mas atente-se aos exageros; prefira alimentos in natura e minimamente processados. A alimentação baseada em uma grande variedade de alimentos frescos colabora com o fortalecimento do sistema imunológico, mas isso não garante o combate à COVID-19. 

  • Buscar auxílio com profissionais de saúde mental

É sempre essencial na vida de todos ter um acompanhamento psicológico. É importante cultivar o bem-estar mental desde sempre. Hoje em dia podemos sentir mais a importância do suporte psicológico, que está sendo fundamental no cenário atual que estamos enfrentando. Durante este grande desafio que está sendo o COVID-19, a população fica mais vulnerável emocionalmente, em questões de mudanças de rotina, pensamentos disfuncionais, ansiedades, compulsões, síndrome do pânico, depressão e vários outros fatores que tem grande influência no cotidiano da população. Durante o cenário que estamos vivendo, a busca por um profissional capacitado (psicólogo). Ajudará bastante no enfrentamento dos conflitos emocionais. Nesta fase de pandemia, a ajuda psicológica fortalece a resiliência que é a dificuldade com a nova realidade de vida. Para aquelas pessoas que já se encontravam em vulnerabilidade a ajuda do psicólogo se tornou ainda mais necessária no enfrentamento dos desafios que a pandemia nos oferece. Portanto, diante de todas as mudanças e isolamento social procurar um psicólogo é válido para todos. Procurar um psicólogo capacitado é se autoconhecer.

Comportamentos benéficos apontados pela Dra. Anamarya Rocha

  • Meditação:

Ondas, assim como raiva, depressão, ansiedade, pânico, emoções difíceis, situações inesperadas ou circunstâncias que possam causar dor, ou sofrimento no isolamento social precisam ser trabalhadas na nossa mente e no nosso corpo. A meditação, diferente do que muitos acham, serve para a boa e sensata reflexão de sentimentos que estão dentro de nós! Assim, ela nos ajuda a encontrarmos alternativas para acabar ou diminuir nossas angústias interiores e viver intensamente.

  • Relacionamento: utilize a quarentena para estreitar seus relacionamentos. Por mais que as mídias sociais causem sobrecarga de medo e pânico, elas também têm os seus benefícios. Então, essa é a hora de enviar uma mensagem pra aquela amiga de infância que você não encontra há anos. Procure conversar mais com seus pais, irmãos e amigos do seu convívio. E se você tem animal de estimação, procure dar também mais atenção a ele, já que numa rotina fora da quarentena, isso é prejudicado em maior grau.
  • Empatia: as palavras da vez são empatia e consciência coletiva. A pandemia do Covid-19 surgiu para nos lembrar não apenas da nossa fragilidade, mas de que se não colocarmos saúde coletiva em primeiro lugar nessas horas, todos sairemos perdendo.
  • Sexualidade: o fato de que a sexualidade é afetada pela quarentena não pode ser generalizada. Escuto relatos de diminuição da libido com queda da autoestima, irritação e desgaste pela maior convivência com a família no mesmo espaço, variações de humor, aumento do medo e da ansiedade. Porém, chegam até mim inúmeros relatos sobre aumento da masturbação, de consumo de pornografia e de exposição de si na rede. Essas diferenças variam de acordo com nossa experiência social e subjetiva da pandemia. Cabe a cada um trabalhar sua auto-estima para que a sexualidade seja contemplada de uma maneira livre de julgamentos e assim possa haver maior satisfação, prazer e desejo sexual.

Sendo assim, vamos sempre focar em coisas positivas, pois uma atitude otimista pode influenciar muito a resistência do organismo às doenças, e manter todo cuidado com nosso bem-estar, físico e mental, para que assim tenhamos qualidade de vida.

Para a produção deste texto foram consultados: o guia da Asbran (Associação Brasileira de Nutrição), a Dra. Anamarya Rocha Vitorino Gomes (Instagram: @dra.anamaryarocha), o treinador da Faculdade de Medicina de Olinda e personal João Carlos (Instagram: @jokahand) e a psicóloga Kerley Beatriz de Andrade Arruda (Instagram: @psikerleyarruda).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui